Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Diretora Anna Muylaert visita Boston

A diretora e roteirista Anna Muylaert  esteve em Boston, no período de 1º a 3 de março, para acompanhar a projeção de seu filme "Que Horas Ela Volta" e participar de mesas de debate, assim como encontros com artistas, intelectuais e a comunidade brasileira local. O evento, integralmente custeado pelo Massachussetts Institute of Technology (MIT), por meio do Programa de Língua Portuguesa, coordenado pela Professora Nilma Dominique, teve o apoio do Consulado-Geral do Brasil em Boston.

A diretora foi recebida, no dia 1º, em coquetel realizado pelo Consulado que contou apresentação de músicos brasileiros da Berklee College of Music, assim como artistas, professores, políticos, lideranças comunitárias e imprensa. Seis veículos de imprensa acompanharam o evento, que foi amplamente divulgado nas redes sociais, inclusive pela página oficial do Grupo Mulher Brasileira.

Na projeção de "Que Horas Ela Volta" no MIT, no dia 2, houve lotação total da sala, que comporta 149 pessoas. Participaram do debate que se seguiu à exibição a própria diretora do filme, a professora Nilma Dominique, a Cônsul-Geral do Brasil em Boston, Embaixadora Glivânia Maria de Oliveira, e a chefe do Departamento de Línguas Estrangeiras do MIT, professora Margery Resnick. Houve grande participação da plateia com perguntas.

No dia 3, Ana Muylaert esteve em Harvard, onde se encontrou com grupo de alunos brasileiros para discutir questões relacionadas ao filme. O encontro, viabilizado pelo o leitor Everton Vargas, foi organizado pela Harvard Undergraduate Brazilian Association (HUBA) e contou com a presença de cerca de 20 alunos daquela universidade.

O Consulado empenhou-se junto ao MIT pela vinda de Anna Muylaert por entender que, ademais da importância da cineasta no cenário artístico nacional e internacional, seu filme retrata a realidade de parcela importante da comunidade brasileira na região, cuja principal fonte de renda vem do trabalho doméstico.

Não por acaso, o filme já havia sido exibido, no fim de 2015, em Brighton, pelo Grupo Mulher Brasileira, tendo, na ocasião, gerado profícuo debate da audiência, formada, em grande parte, por trabalhadoras do setor.

 

 

 

 

 

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página