Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

II Simpósio sobre Ensino de Português como Língua de Herança

Realizou-se em Munique, na Alemanha, entre os dias 16 e 18 de outubro corrente, o II Simpósio Europeu sobre o Ensino de Português como Língua de Herança (SEPOLH). A primeira edição do evento teve lugar em Londres, em outubro de 2013. Neste ano, além de participantes de diversos países europeus, a iniciativa contou com representantes de instituições sediadas nos Emirados Árabes Unidos e no Japão.

A organização do evento ficou a cargo de Camila de Lira Santos, Diretora da Linguarte, associação que promove e divulga o português e a cultura do Brasil, e de Andréa Menescal Heath, que trabalha com Leitorado em Munique, em conjunto com Ana Souza, idealizadora do I SEPOLH, membro do Conselho Executivo do SEPOLH e presidente da Associação Brasileira de Iniciativas Educacionais no Reino Unido (ABRIR).

O II SEPOLH contou com a participação de cerca de 100 profissionais, o dobro do número de participantes da primeira edição. Foram realizadas cinco mesas redondas, além das de abertura e de encerramento, que trataram dos seguintes temas: formação de professores; currículo; enfoque na alfabetização bilíngue; material didático; e projetos de incentivo na Europa.

A mesa de encerramento discutiu os desafios e perspectivas do Português como língua de herança na Europa.

Em sua apresentação, na mesa de abertura, a Cônsul-Geral do Brasil em Munique, Embaixadora Carmen Lídia Richter Ribeiro Moura, abordou a importância das línguas de herança, ressaltando a relevância do idioma português no contexto mundial e o crescimento da importância de sua vertente brasileira, na medida em que o Brasil assume novos papéis de destaque como ator global, como parceiro de negócios, destino turístico e país de rica produção cultural.

A criação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e o crescimento da diáspora brasileira nos últimos 25 anos foram outros temas destacados para salientar a importância da preservação do português como língua de herança no exterior.

Ao final do Simpósio, a Dra. Maria Luisa Ortiz, da Universidade de Brasília, que coordenou o tema Formação de Professores em POLH, anunciou a realização, em Brasília, no segundo semestre de 2016, de um congresso mundial sobre línguas de herança.

Como resultado do II SEPOLH, foi elaborada carta-aberta a ser dirigida a autoridades nacionais responsáveis pela educação e relações internacionais.

 

Participantes do Simpósio (foto do sítio www.portugues.no)

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página