Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Língua portuguesa tem destaque no Salão do livro de Paris

O Salão do Livro de Paris, que homenageou a literatura brasileira, no final de março deste ano, foi palco de programação acadêmico-cultural paralela ao acontecimento. O destaque ficou com a participação da Academia Brasileira de Letras (ABL), que promoveu uma série de eventos homenageando o seu fundador, Machado de Assis.

Mas não foi somente o mais importante escritor brasileiro que foi homenageado. A literatura de cordel também atraiu o público francês, na "Maison de la Poésie", que abriu suas portas para o repertório de poemas e improvisações. O Centro Georges Pompidou, por sua vez, promoveu a sessão "O mundo visto do Brasil", com projeção de filme e debate.

Já a Fundação Calouste Gulbenkian ofereceu ao público o colóquio "Outras margens: a vitalidade dos espaços de língua portuguesa", com a participação de Sérgio Paulo Rouanet e de Bárbara Freitag. A Fundação ofereceu ainda a jornada de estudos "Biografias e fronteiras históricas em uma perspectiva brasileiro-franco-portuguesa" e a jornada "A descoberta da literatura infanto-juvenil brasileira".

A participação brasileira no Salão do Livro do Paris foi considerada exitosa em todos os sentidos, com a presença de 43 autores brasileiros. O estande do Brasil permaneceu lotado durante os quatro dias do evento. Mais de 60 mil pessoas visitaram a Feira do Livro.

 

Escritores brasileiros em apresentação no Salão do Livro de Paris

 

Fernanda Torres foi uma das convidadas a representar o Brasil no Salão

registrado em:
Fim do conteúdo da página