Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

"Português como Língua de Herança" na Nova Zelândia

O projeto "Português como Língua de Herança", da Embaixada do Brasil em Wellington, encerrou em 7 de dezembro a programação de 2017. A iniciativa busca oferecer a crianças brasileiras nascidas ou criadas na Nova Zelândia maior contato com a língua portuguesa e com a cultura do Brasil por meio de atividades educativas. Em 2017, foram realizados 16 encontros.

As atividades de cunho mais didático com as crianças alfabetizadas, que contemplam tanto a linguagem oral quanto a escrita, ficam a cargo da professora Cristiane Mirkin. O ensino de português e cultura brasileira para as crianças menores e as atividades destinadas a todo o grupo são organizados e coordenados pela equipe do Setor Cultural da Embaixada, com a participação de mães brasileiras. Têm um viés mais lúdico e de socialização, com ênfase no desenvolvimento da expressão oral.

Até 2015, o Grupo Girassol, formado por mães brasileiras, organizava atividades para as crianças da comunidade na região de Wellington. Motivos financeiros e de disponibilidade de tempo, no entanto, inviabilizaram a continuidade do grupo. Foi então que a Embaixada em Wellington tomou a decisão de acolher os eventos em suas instalações, programando encontros para que as crianças não perdessem suas raízes brasileiras.

Para 2018, a proposta da embaixada é de que a colaboração dos brasileiros residentes em Wellington se intensifique e que as atividades lúdicas sejam cada vez mais coordenadas pelas famílias, usando o espaço e os recursos oferecidos pela Embaixada. Essa orientação tem como objetivo trazer de volta o pró-ativismo que existia no Grupo Girassol.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página