Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Brasil e língua portuguesa despertam interesse dos húngaros

Tornar a Hungria um centro de referência em estudos brasileiros. Este foi um dos objetivos do simpósio “O Brasil em contexto europeu e húngaro”, realizado em Budapeste, nos dias 20 e 21 de outubro, na Universidade Eötvös Loránd (ELTE). O evento foi organizado pelo professor Ferenc Pál, responsável pelos assuntos do Brasil na ELTE, e pela professora Daniela Neves, do Centro Leitoral Brasileiro nessa universidade, que passa a operar com mais autonomia e novas instalações dedicadas aos estudos brasileiros.

A inciativa dá continuidade a eventos anteriores dedicados ao país nessa universidade, e é o resultado do fortalecimento dos laços entre o leitorado, o meio acadêmico e a Embaixada do Brasil. De acordo com a leitora Daniela Neves, existe uma crescente demanda na Hungria pelo estudo da cultura, da língua e da literatura brasileira.

Participaram do simpósio professores especialistas em literatura, língua, educação, história, artes, direito e economia, vindos do Brasil e de países da Europa ocidental e oriental, tratando de temáticas brasileiras. A programação contou com conferências em português e em húngaro, alternadamente, para atender aos diferentes públicos.

O evento, ainda segundo Daniela, firmou um marco nos novos rumos do Departamento de Português da ELTE, que passa a enfatizar os estudos brasileiros no âmbito da lusofonia. A ideia é a de expandir as áreas de pesquisa em direção a uma maior visibilidade do Brasil no âmbito da universidade e da Hungria, em interação com outros departamentos e campos do saber. 

Como parte desse projeto, foi lançado o livro “A projeção secular do Brasil na Hungria”, organizado por Ferenc Pál e Daniela Neves. Para tornar a Hungria um centro de referência nos estudos brasileiros na Europa centro-leste, estão sendo elaborados novos projetos e eventos para promover a cultura brasileira.

Especialistas de peso internacional que participaram simpósio respaldaram a formação de um polo de pesquisa brasileira na ELTE, com o apoio da AIL (Associação Internacional dos Lusitanistas), que vem trabalhando em conjunto com a universidade. Para tal, a primeira semente já foi plantada - o agendamento de um colóquio sobre estudos brasileiros, em 2015, a ser realizado em Budapeste, na ELTE.

 


O evento contou com conferências em húngaro e português

Participaram do simpósio professores especialistas em literatura,
língua, educação, história, artes, direito e economia

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página